.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

quarta-feira, setembro 20, 2006

Artigo: Em busca dos grandes bagres

Um bom dia de pescaria ao lado dos profissionais da pesca artesanal no Pantanal. Este é o roteiro turístico que está sendo avaliado por pesquisadores da Embrapa Pantanal (Corumbá, MS), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A idéia é oferecer uma alternativa para utilização econômica e sustentável da fauna silvestre na região.
O coordenador do projeto, o pesquisador Ubiratan Piovezan explica que a proposta é inovadora por envolver os pescadores profissionais que trabalham de forma artesanal e que não participam da cadeia de serviços e produtos relacionados ao turismo de pesca praticado no Pantanal. “O projeto encontra-se em fase de avaliação junto aos pescadores amadores, mas a idéia tem se mostrado muito interessante e tem potencial para atrair novos clientes como, por exemplo, as esposas de pescadores que visitam a região e que, até o momento, não eram alvo das empresas de turismo de pesca”, destaca Piovezan.
Nesse roteiro, o pescador amador (turista) tem a oportunidade de vivenciar o modo de vida dos pescadores da região, sendo desafiado a capturar sua própria isca, um piau conhecido como ximburé, de forma artesanal. Após a captura do ximburé, feita com a ajuda de uma varinha e de plantas aquáticas colhidas no próprio rio, inicia-se a busca dos bagres. Os apetrechos dos pescadores artesanais (linhada de mão) estarão à disposição dos visitantes. O programa inclui ainda um tradicional almoço preparado na beira do rio à moda pantaneira. Se for bem sucedido em sua pescaria, o turista pode ainda deliciar-se com o produto de sua pescaria preparado na brasa. Por fim, o merecido descanso na rede acompanhado de “causos” e um bom tereré.
“O encontro entre duas culturas distintas já é, por si só, um atrativo”, ressalta o pesquisador Agostinho Catella, colaborador da pesquisa. Ele acredita que, se o produto for viável, poderá configurar-se como mais uma opção de renda para os pescadores artesanais da região e como uma nova modalidade de serviço a ser oferecido pelo setor turístico pesqueiro aos clientes.
Por outro lado, o professor Milton Mariani, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que também é parceira do projeto, entende que o perfil do visitante e do pescador profissional que irá acompanhá-lo é de fundamental importância na questão e pode limitar a adoção do roteiro, caso este se mostre como um produto turístico importante para a região, futuramente.

Serviço – O roteiro elaborado pelo projeto “Uso sustentável da fauna silvestre”, conduzido pela Embrapa Pantanal, encontra-se em fase de avaliação com o apoio do Hotel Gold Fish que está organizando as saídas. Mais informações podem ser solicitadas aos pesquisadores envolvidos no projeto, nos endereços piovezan@cpap.embrapa.br, catella@cpap.embrapa.br e miltmari@terra.com.br

Fonte: Denise Justino da Silva – MTb/MS 129
Jornalista Embrapa Pantanal - denise@cpap.embrapa.br
Fone: (67) 3233-2430, ramal 307

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home