.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

terça-feira, maio 30, 2006

Segurança Pública fecha cerco contra crime organizado em MS

Campo Grande (MS) – “Os presos ligados ao crime organizado que já se encontram em nossas penitenciárias nós sabemos quem são, mas existem muitos deles ainda circulando em nosso meio, inclusive articulando motins como os que ocorreram recentemente. Nós vamos desarticular a todos eles”. A declaração é do secretário de Justiça e Segurança Pública, Raufi Marques, ao detalhar a atuação da Força Nacional de Segurança Pública em Mato Grosso do Sul, logo após confirmar a vinda do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, a Mato Grosso do Sul.Segundo o secretário, o ministro desembarca em Campo Grande na noite de amanhã (31) e no dia seguinte, pela manhã, acompanhado do governador Zeca do PT, dá início às operações da Força Nacional, em ato a ser realizado em frente ao Palácio Popular da Cultura, no Parques dos Poderes. O evento constará ainda da assinatura de convênios entre o Ministério da Justiça e o Governo do Estado.
Sobre a atuação da Força Nacional, Raufi Marques revelou que as funções dos homens que integram a corporação não se restringirão apenas a segurança da parte externa dos presídios. “Eles estarão nesses locais, mas também darão suporte a outras operações que serão desencadeadas em nossas cidades, com a finalidade de tirar de circulação até mesmo aqueles marginais que tenham cometido crimes menos graves”.
Raufi revelou que a Polícia Militar do Estado está sobrecarregada em cidades como Dourados e Campo Grande, onde as principais penitenciárias ficaram parcialmente destruídas. “Estamos passando por um momento muito delicado e a pedido dos agentes penitenciários, homens da Polícia Militar que antes se limitavam a fazer a segurança apenas da muralha para a parte externa do presídio, estão tendo de acompanhar os agentes em suas funções internas. Com isso, em todo o trabalho que é executado onde existe falta de segurança, até mesmo no fornecimento de alimentação aos presos, os agentes estão sendo acompanhados por policiais militares armados”.
O secretário anunciou ainda o envio de homens da Força Nacional para outras cidades do Estado, como forma de reforçar o policiamento não só nas penitenciárias, mas também nas operações de repressão ao crime. “Estaremos dando prioridade, logicamente, às cidades que foram mais atingidas com as rebeliões, como Campo Grande e Dourados, mas estaremos enviando homens para todo o Estado, principalmente nas regiões de fronteira, já que Mato Grosso do Sul precisa sair da condição de ser um dos principais corredores do tráfico de drogas, armamentos e munições”.
ARMAMENTO FICA EM MS – Depois de informar que os entendimentos são no sentido de que os 200 homens da Força Nacional devam ficar alojados em unidade do Exército e que todos os custos decorrentes da permanência deles no Estado, ao longo de sessenta dias, correrão por conta do Ministério da Justiça, Raufi revelou que parte do armamento pesado que será utilizado pela Força Policial ficará em Mato Grosso do Sul. “Estamos recebendo todo o tipo de apoio do Governo Federal, inclusive este de podermos ficar com parte do armamento e veículos que estarão chegando à Campo Grande até o final da tarde de amanhã (quarta-feira)”.
OITO MIL HOMENS - Ao finalizar, o secretário disse ainda que em função do que ficou definido na última reunião do GGI (Gabinete de Gestão Integrada), que é composto por representantes de todos os órgãos de Segurança Pública do Estado, além da Justiça Estadual e Justiça Federal e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF), a população de Mato Grosso do Sul deverá contar com um total de oito mil homens, atuando no combate ao crime “somando-se os integrantes das nossas policias Civil e Militar, aos agentes rodoviários federais e homens do Departamento de Polícia Federal”, concluiu.

Fonte: APn, com reportagem de Moacir Jorge, da Secoge

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home