.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

quinta-feira, novembro 03, 2005

Grampos telefônicos preocupam corregedor Romeu Tuma

Arquivo do blog/J. Freitas/Ag. Senado/18.7.05
O senador Romeu Tuma (PFL-SP), corregedor-geral do Senado Federal, demonstrou, nesta quinta-feira (3), preocupação em relação ao grande número de parlamentares que diz tem tido seus telefones grampeados. Para ele, isso está se tornando uma síndrome.
Tuma salientou que há mais de dois anos vem alertando para esse problema, mas que, até hoje, não há nenhum tipo de fiscalização.
- O grampo existe para auxiliar as autoridades policiais a combaterem o crime organizado. O que está ocorrendo hoje é a banalização total - lamentou.
O senador também relatou aos seus pares que teve seu escritório em São Paulo assaltado nesta madrugada, o que gerou indignação em Plenário. No entanto, ele se recusou a atribuir o fato a possíveis ações de perseguição por parte do governo.
- Prefiro acreditar que existam grupos interessados em promover um choque entre governo e situação - disse.
Tuma recebeu apartes dos senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), Paulo Paim (PT-RS), Heloisa Helena (P-SOL-AL), Pedro Simon (PMDB-RS) e Eduardo Suplicy (PT-SP).
As informações são da Agência Senado.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home