.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

terça-feira, abril 18, 2006

Fontana critica irresponsabilidade da oposição

O Portal do PT informa que o líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS), criticou nesta terça-feira o comportamento "irresponsável" da oposição com o Orçamento da União de 2006. Ele lembrou que uma obstrução como a atual, que já ultrapassa 100 dias, não ocorre no país há mais de quinze anos. "Estamos vivendo uma situação inaceitável. O Orçamento não é nem do governo nem da oposição, é do Brasil. Fui oposição durante mais de quatro anos ao governo do PSDB e do PFL, mas jamais procurei inviabilizar a governabilidade do país", disse.
Em função de acordos fechados entre a base do governo e a oposição no Congresso Nacional, a estimativa do líder é de que a votação do Orçamento ocorra nesta terça-feira no plenário do Senado. Segundo Fontana, a iniciativa do governo de editar uma medida provisória caso o Congresso não aprove o Orçamento acabou desobstruindo as negociações em torno do assunto. "O governo não pode parar. A oposição não pode querer alterar todo o Orçamento conforme a sua vontade, é preciso haver mediação política. Se não houver consenso para a votação, a saída será editar uma MP", avaliou.
Segundo Fontana, se houver necessidade da MP, o governo contará com o apoio da população. "Tenho convicção de que teremos o apoio da maior parte da população, ninguém concorda com a paralisia do governo", disse.
Para o parlamentar, a demora na aprovação do Orçamento não trará prejuízos para o país. "Se o aprovarmos nesta semana não teremos prejuízos. Chegamos no limite do razoável no sentido de buscar uma saída. Estamos fazendo um enorme esforço para viabilizar as negociações", disse.
Acusações
Segundo Fontana, a oposição continua tentando desestabilizar o governo com base no denuncismo irresponsável. Além da obstrução na votação do Orçamento, a estratégia da oposição agora inclui ataques ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. "A oposição quer inviabilizar a governabilidade no país. Nesse momento, tenta atingir um dos ministros mais competentes do governo Lula, o ministro Márcio Thomaz Bastos. Ele dirige a Polícia Federal há 39 meses de maneira absolutamente republicana e exemplar", comentou.
Fontana lembrou que a oposição precisa fazer uma autocrítica dos oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso. "O governo do PSDB e do PFL foi quem entregou o Brasil à beira do precipício após um governo de oito anos. Na época, o chamado risco Brasil era de 2.400 pontos, o dólar valia cerca de R$ 4, a inflação prevista para 2003 era em torno de 25% e a taxa de Selic estava em 25%", frisou o líder do PT.
Fontana lembrou que o Brasil hoje tem o menor risco da história do país (ao redor de 240 pontos), a taxa de juros caiu para a faixa de 16%, o dólar tem uma cotação real em torno de R$ 2,2, as reservas do país quadruplicaram e as exportações dobraram.
Segundo Fontana, supor que a gestão econômica do governo Lula possa se tornar irresponsável em função das eleições não condiz com a realidade. "Esta hipótese não encontra base na realidade, até porque, nós pretendemos governar o país por esses oito meses que restam e por mais quatro anos. Somos os maiores interessados em manter a estrutura do Brasil com o grau de estabilidade que ela tem hoje. Os 39 meses de governo Lula garantiram ao Brasil uma política econômica com um grau de estabilidade nunca visto durante o governo de FHC", disse.
Agência Informes (www.informes.org.br)

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home