.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

sábado, março 04, 2006

Incompetência: Presidente da LIESA ataca repórter e tenta explicar o inexplicável

Foi com surpresa que recebi, na minha caixa de entrada de "e-mails", uma "Nota de Repúdio" assinada pelo presidente da LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba de Aquidauana). Responsável pela desorganização dos desfiles das escolas de samba na Avenida Doutor Sabino, e depois de me empurrar, quando tentava cobrir a apuração das notas dadas às agremiações carnavalescas, o presidente da LIESA ataca o repórter. Mas não explica a desorganização presenciada pelo povo que compareceu à Passarela do Samba.
De nada adianta matar o mensageiro, senhor presidente, se a mensagem não é boa para os seus ouvidos e olhos, acostumados talvez somente com a adulação fácil e a rasgação de seda patrocinada não sei por quais interesses.
Mas, como cidadão democrático - nestes tempos de mensalão, cuecão recheado com reais e dólares, lista do caixa dois de Furnas e tantos outros escândalos que assolam o Brasil, em que nós repórteres somos atacados porque relatamos FATOS, e não VERSÕES - respondo a nota, não com injúrias, calúnias ou difamações, mas apenas com FATOS.
Publico abaixo a "Nota" a as minhas respostas:

NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO
A LIESA – Liga Independente das Escolas de Samba de Aquidauana, vem a público esclarecer e repudiar o episódio ocorrido nas noites dos desfiles das Escolas de Samba de suas filiadas, ocorrido nos dias 27 e 28 de fevereiro de 2006 na Avenida Dr. Sabino.
Esclarecer:
Na segunda-feira, 27, quando da abertura do desfile da Escola do Grupo de Acesso, GRES Unidos da Ponte de Anastácio/MS, que estava previsto para as 20:30 horas, e houve um atraso não previsto, visto que apenas um ônibus estava transportando mais 150 (cento e cinqüenta) integrantes, humanamente impossível fazer isso em apenas uma viagem. A falta de algumas fantasias deixadas no município vizinho, também culminou com o atraso.

Comentário do blog: A Rádio Independente informou, por meio de reportagens dos colegas Brito Rodrigues e Loridane da Silva, os fatos narrados acima.
Eu comentei que "a 'grande distância' entre as cidades irmãs de Aquidauana e Anastácio - unidas pelo rio Aquidauana - talvez explicasse o atraso no início do desfile na Avenida Doutor Sabino, a Passarela do Samba.

A LIESA diante das dificuldades que enfrentava a Diretoria da Unidos da Ponte, que não estava na disputa apenas cumpria o regulamento (sic), atendeu ao pedido de espera do Presidente do GRESUP em retardar o inicio do desfile da escola, pois sem o quadro completo e algumas fantasias, tiraria todo o brilho da agremiação e do Certame.
Na mesma noite, no desfile do GRES Águia de Ouro, um de seus diretores antes do inicio do desfile, deslocou o Caminhão de som para uma das últimas alas da escola, prejudicando com isso, a sonorização de toda a escola.
A LIESA vendo a dificuldade dos integrantes da escola em ouvir os seus cantores e que estava prejudicando o desfile da mesma, de imediato consultou dois diretores da agremiação para que tocasse o CD do samba enredo que se encontrava em poder da Liga, com a devida autorização isso foi feito e não prejudicou de maneira alguma e não houve desencontro do som, vez que a distancia entre um e outro era grande. Para isso, o presidente da LIESA e a Comissão Organizadora se ampararam no Regulamento do Desfile/concurso/2006.

Comentário do blog: Novamente os fatos relatados acima - mesmo com equívocos na pontuação e no português usado - aconteceram.
A Rádio Independente, mais uma vez, levou todas as reportagens esclarecedoras aos milhares de ouvintes espalhados por toda a região.
Naquele momento, quando o CD com a gravação do samba enredo da escola de samba Águia de Ouro começou a ser executado, comentei que "nunca na minha vida havia visto algo semelhante, com uma escola de samba entrando na área de desfile com a bateria e o intérprete puxando o samba, lá atrás, depois da área de concentração; e um CD tocando ao mesmo tempo o samba enredo da escola."
Acrescentei que é por isso que tenho ressalvas às pessoas que afirmar saber de tudo. Afinal, a cada dia aprendemos uma novidade. E aquela foi uma grande novidade.
Lembrei que isso poderia causar - e acabou causando - o fenômeno conhecido como"atravessamento do samba", quando uma parte da escola canta um pedaço do samba enredo e outra canta versos diferentes.
Esse comentário visava esclarecer, aos milhares de ouvintes, o que estava acontecendo na Avenida Doutor Sabino.
A reportagem da Rádio Independente, presente na pista, ouviu todas as pessoas envolvidas no fato, inclusive o presidente da LIESA.
Quem acusou a LIESA de "boicote" contra a Águia de Ouro foram vários componentes da escola que homenageou o radialista e deputado estadual Raul Freixes (PTB), não este repórter. Basta ouvir as gravações do que foi ao ar, pela Rádio Independente, e o que foi escrito neste blog e no site Pantanal News.

Na terça-feira, 28, três agremiações estavam para a disputa e o inicio previsto estava marcado para as 20:00 horas e nesse horário, a Comissão Organizadora notou a ausência de seis integrantes da equipe de jurados, impossível dar a largada com o número reduzido e isso se prolongou até as 20:45 horas quando o jurado (sic) estava completo.
Já na área de concentração, notou-se a ausência da máquina retro-escavadeira da Prefeitura Municipal que levaria os destaques até os carros alegóricos, sem conseguir manter contato com o responsável pela máquina, a LIESA pediu ajuda ao Corpo de Bombeiro que prontamente atendeu ao chamado trazendo uma escada de 7 metros.
Diante dessas anormalidades, a Comissão Organizadora determinou a largada a primeira escola às 21:00 horas e assim foi feito. A escola foi punida a partir daí pelo atraso, motivado por ela mesma.

Comentário do blog: Talvez, se estivesse com fones de ouvido e sintonizado nos 1.020 kHz da Rádio Independente, o Ilustríssimo Senhor Presidente da LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba de Aquidauana) - e creio, sinceramente, que isso fosse impossível naquele momento - teria tomado conhecimento dos fatos que ele mesmo narra acima. Mais uma vez, todos os FATOS foram narrados pela reportagem da Rádio Independente, por meio de Brito Rodrigues e Loridane da Silva, que entrevistaram a secretária de Turismo de Aquidauana, Zildete Carvalho; e integrantes da escola de samba.
Naquele momento, eu estava no palco montado pelo deputado Roberto Orro, com apoio da prefeitura de Aquidauana, entrevistando e levando ao conhecimento dos jurados os problemas que os destaques da escola de samba enfrentavam para subir nos carros alegóricos.
A Rádio Independente informou, ao vivo e simultaneamente, todos os fatos que aconteciam e que causavam o atraso do desfile.

A LIESA vem ainda em público, aplaudir aos heróis presidentes das Escolas de Samba que em menos de cinco dias puderam montar e mostrar a força de seu trabalho de suas equipes colocando suas escolas na avenida, por isso, nenhum deles deveriam receber algum tipo de pena.

Comentário do blog: A Rádio Independente, este repórter e toda equipe de transmissão, também aplaudiu o grande esforço feito pelos integrantes das escolas de samba, lamentando, no entanto, a falta de organização da LIESA, que se mostrou INCAPAZ, até mesmo, de colocar TODOS os jurados no palco montado na Avenida Doutor Sabino, onde trabalharam usando as pernas e joelhos como apoio para os papéis que carregavam e onde anotariam as notas dadas às escolas de samba.

REPUDIAR:
A forma deselegante e antiprofissional do repórter Armando Amorim Anache, que sem saber dos fatos que estavam ocorrendo, bradava com palavras inverídicas sobre a conduta da LIESA e de seu presidente.

Comentário do blog: Quem não sabia de nada era, na realidade, o presidente da LIESA, procurado por mim próprio na Passarela do Samba, na segunda noite de desfiles, e que se recusou a dar maiores esclarecimentos.
Eu não "brado palavras inverídicas". Apenas relato fatos. E todo "fato" é real, pois se real não fosse, fato não seria (Leia o "Manual de Redação do jornal 'O Globo', do Rio).
Fatos que já haviam sido apurados, repito, por mim e pelos colegas repórteres da Rádio Independente. As fotografias que eu próprio fiz do local reservado aos jurados - com sete, e não seis, cadeiras vazias, são a prova disso.

E mais: A secretária de Turismo de Aquidauana, Zildete Carvalho, deixou bem claro aos ouvintes, no ar, que a responsabilidade pelo horário dos desfiles e pela Comissão Julgadora era exclusivamente da LIESA. A prefeitura, ressaltou Zildete Carvalho, apenas montou a estrutura da Passarela do Samba.
Já participei de várias outras coberturas de carnavais aqui, em Corumbá, no Rio de Janeiro e em Recife. Nunca fui barrado - e ser barrado é normal para um repórter - e empurrado numa escada, da maneira como fez o Ilustríssimo Senhor Presidente da Liga, que é uma pessoa muito importante e poderosa que assina a "Nota" - recheada de erros de português - com o seu nome em caixa alta.

A LIESA disponibilizou dois locais para escolha das emissoras de TV e Rádios, no trio elétrico e nas laterais do palanque de jurados, a emissora do tal repórter optou pelo carro palanque e a Liga atendeu não só ele, mas todos os profissionais de imprensa, mas nenhum deles, com exceção de "Armandinho" não respeitou o local onde se encontrava, o tal repórter com seu timbre de voz aguda (sic) invadiu o recinto restrito aos jurados e tentava confundi-los com suas opiniões, motivando a comissão Organizadora a reunir e pedir aos jurados que a opinião do repórter não deveria ser levada em consideração.
Todos que estavam presentes presenciaram que o tal repórter queria se aparecer (sic) mais do que as escolas de samba, e a todo o instante bradava para chamar a atenção de todos, corria de um lado ao outro (parecia que estava louco), tentando tirar o brilho da festa e das escolas de samba, para ficar com ele. Não conseguiu.

Comentário do blog: Realmente não consegui tirar o brilho dos desfiles. Confesso que não tenho competência para esta que não é uma tarefa de repórter.
Mas o presidente da LIESA conseguiu, sim, manchar com a marca da sua incompetência a maior manifestação cultural do povo brasileiro, o carnaval.
O presidente da LIESA também, na sua incompetência para organizar os desfiles das escolas de samba - verdadeiro "atravessador de samba" - confunde timbre "agudo" com "grave".
Certamente não sabe diferenciar, também, uma cuíca de um surdo de marcação.
Este repórter, em momento algum, "bradava para chamar a atenção de todos".
O que aconteceu foi o estacionamento do Trio Elétrico Trovão, com potentes caixas de som, em frente ao palco onde estava a Comissão Julgadora e o estúdio portátil de reportagens externas da Rádio Independente. Com INTENSIDADE SONORA EM dB (nível de pressão sonora) de 120 decibéis ou mais - normal num potente e eficiente trio elétrico como o "Trovão" - nem os jurados conseguiam trabalhar em paz e, muito menos, nós que transmitiamos ao vivo os desfiles. Os jurados reclamaram dessa falha, ao vivo, durante reportagem que fiz, subindo no palco com permissão dos responsáveis, e jamais "invadindo".
Limitava-me a narrar o que acontecia na Passarela do Samba de Aquidauana. Essas informações corretas - levadas aos ouvintes e leitores, depois de checadas no local onde aconteciam - é que devem ter causado a ira do Ilustríssimo Senhor Presidente da Liga, certamente mais acostumado, em carnavais passados, com o elogio fácil e descompromissado com a verdade dos fatos.
Tanto que torço, e a equipe de trabalho à qual pertenço também, por um carnaval cada vez melhor e nas mãos de dirigentes competentes. Exemplo disso aconteceu ontem (3) à tarde, na Câmara de Aquidauana. Numa entrevista com o prefeito Felipe Orro (PDT), sugeri, educamente e no ar - e obtive a aceitação imediata daquela autoridade - que, no próximo carnaval, seja montada um estrutura idêntida àquela feita pela prefeitura de Anastácio, com mesas e cadeiras para os âncoras e comentaristas de emissoras de rádio.
Na Avenida Doutor Sabino, nem ao menos os jurados tiveram mesas, nas quais pudessem colocar seus papéis com as notas dadas às escolas de samba.
Quanto à afirmação "parecia que estava louco", não me sinto incomodado. Prefiro parecer um "louco" em busca da notícia correta, do que um "lerdo" ou um "boca-aberta acostumado a receber 'releases', uma ou duas semanas depois do FATO que virou NOTÍCIA" que tudo aceita, como se verdade fosse, das "assessorias 'autistas' de imprensa" da região.
No entanto, como comentei no ar, o presidente da Liga não achou este repórter "louco" quando telefonou, durante o carnaval, solicitando que "a Rádio Independente tocasse mais, por favor, o samba da Unidos da Princesa, uma vez que a FM Pan está tocando mais o samba enredo da Águia de Ouro, que homenageia o radialista e deputado estadual Raul Freixes."

Em nenhum momento o Presidente da LIESA empurrou tal repórter que de forma abusiva, arbitrária tentou adentrar no local exclusivo para a equipe de jurados. No momento em que estavam entregando as notas para a Comissão Organizadora foi pedido para que esperasse e a mão do presidente encostou em seu peito já que ele vinha escada acima bruscamente, e de forma "estérica" (sic, com Camões dando voltas na tumba) começou a gritar loucamente, desenfreadamente que fora empurrado, numa pura inverdade, digna de encenação de teatral, para que todos percebessem da sua presença naquela local, cena aliás, vexatória e vergonhosa.

Comentário do blog: O Ilustríssimo Senhor Presidente da LIESA empurrou, sim, este repórter. Eu estava na escada de acesso ao palco montado pelo deputado Roberto Orro (PDT), com o apoio da prefeitura de Aquidauana.
Cheguei a comentar, educadamente: "O que é isso, Fernando? Não há necessidade de empurrar, pois posso cair da escada. Basta dizer que não pode entrar na área do palco!"
Não "gritei 'estéricamente' (sic) nem muito menos de forma "histérica". Apenas relatei o empurrão à secretária de Turismo, Zildete Carvalho, na companhia de quem deixei - entrevistando ao vivo - a área do palco onde estavam os jurados até então.
Também relatei o fato ao colega radialista e "decano" Mauro Lúcio Ortiz, ao vivo na co-irmã Rádio Nova Difusora. Ele também concordou com a falta de organização e a ausência de pelo menos uma mesinha, com cadeira, para cada emissora de rádio que transmitia os desfiles ao vivo.
Tudo isso está gravado nas fitas de censura da Rádio Independente e, contra FATOS, não existem argumentos.

Até entendo que o presidente da LIESA estivesse nervoso com a desorganização causada por ele no desfile das escolas de samba. Mas o seu estado de espírito não justifica a maneira descortês com a qual tratou este repórter.

A conduta exemplar da repórter do site Pantanal em Foco deveria ser seguido pelo tal repórter, quando avisada que naquele momento não poderia subir em razão da entrega das notas, a mesma atendeu ao pedido do presidente da LIESA e EDUCAMENTE se afastou, o que não fez Armando Amorim Anache.

Comentário do blog: Não presenciei esse fato, mas garanto que a repórter não foi empurrada pelo presidente da Liga. Ou será que foi?

A LIESA ainda repudia esse Senhor por tentar jogar a entidade contra a opinião pública, através das ondas de sua emissora, ao tentar difamar o trabalho incansável do presidente da LIESA para termos nosso carnaval de rua, chamando-o de incompetente. Ora, ser incompetente colocando cinco escolas de samba na avenida, com mais de duzentas pessoas cada uma, ter o aval do Governado (sic, aqui faltou o "r", caro presidente!) do Estado, da Secretaria de Estado de Cultura, da Fundação de Cultura, dos Deputados Estaduais Roberto Orro e Raul Freixes, das Prefeituras Municipais de Aquidauana (Felipe Orro) e Anastácio (Cláudio Valério), da Secretaria Municipal de Turismo (Zildete Carvalho), do 9o Batalhão de Engenharia e Combate (sic de novo, pois o correto é 9.º Batalhão de Engenharia de Combate) (Ten. Cel. André Cezar Siqueira), da Policia Militar (Major Godoy), do Corpo de Bombeiros (Cap. Adriano Rampazo), contar com o apoio de importantes e significantes personalidades de nossa sociedade que estiveram nas duas noites fazendo parte do corpo de jurados, é sim fruto da competência, respeito e confiança popular, o que provocou no tal repórter, ciúmes e invejas de ver pessoas sérias e honestas que trabalham por uma comunidade que quer mostrar ao Estado o potencial carnavalesco de Aquidauana, ao contrário daquelas que migraram (para não dizer que fogem) de suas cidades sem poder ajudar ou fazer alguma coisa por ela, o que não é o nosso caso.

Comentário do blog: Ninguém tenta jogar a opinião pública contra esta ou aquela pessoa ou entidades. A função do repórter é relatar FATOS. Só isso. Ou tudo isso.
As demais ilações do Ilustríssimo Senhor Presidente dA LIESA não merecem nenhum comentário. Ilações são ilações. Não têm compromisso com a apuração REAl dos FATOS.
Também não saí da minha cidade. Novas ilações injuriosas e difamatória. Crimes tipificados no Código Penal brasileiro, ilustre presidente.
Sou empresário há 21 anos em Aquidauana, onde, ao lado do meu pai, Armando Anache, comprei a Rádio Independente. Sempre tive e tenho familiares na Princesa do Sul, que freqüento desde a mais tenra idade, chegando sempre pela inesquecível Estrada de Ferro Noroeste do Brasil.
Ciúme, inveja e recalque não fazem parte do meu caráter. Não posso, agora, afirmar o mesmo a respeito de Vossa Senhoria, que sempre freqüentou e foi muito bem recebido na Rádio Independente por mim, minha mulher e meu pai.
Poderia ter dito o que escreveu acima, de forma covarde, olhando nos meus olhos. Deixa "prá" lá. Já perdoei. Mas não esqueço!
Além do mais, autoridades e entidades públicas e privadas, às vezes, dão sim aval à pessoas incompetentes. Ou piores do que isso. Veja o caso do presidente Lula, que afirma ter sido "traído" por alguns companheiros em quem confiou sempre.

Causa estranheza que, só agora - em e-mail enviado na tarde de ontem, quando eu estava fazendo uma cobertura na Câmara de Aquidauana e, lá, cruzei com o Presidente da LIESA, que nada falou a respeito da nota que divulgaria mais tarde, depois das 16 horas - o Ilustríssimo Senhor Presidente da LIESA responda comentários feitos por pessoas revoltadas com o atraso dos inícios dos desfiles das escolas de samba.

Em momento algum nesta nota, citamos o nome da emissora onde "trabalha" tal repórter, por saber da índole de seus fundadores, que jamais concordariam com tal infame (sic) e para não denegrir o nome de uma emissora construída no suor, no trabalho, na luta de um ideal, peça por peça de forma artesanal, coisa que alguns não sabem o que é (veio de berço esplendido (sic, com um soco no fígado de Camões), já pegou feito e não está sabendo valorizar o que recebeu de outrem.

Comentário do blog: Novas ilações de quem nada sabe sobre a história gloriosa da emissora que começou "Martelinho" e hoje é a mais potente do Pantanal Sul.
Olha a dor de cotovelo, caro presidente! Ô louco! Pára com isso, Fernandinho! Tanta tempestade num copo d'água.
Não quer críticas? Deixe a LIESA ou cerque-se de profissionais, caríssimo presidente.
Parece que o presidente da LIESA sofre de "amnésia seletiva de memória". Caso contrário, lembraria que este repórter fez, ao lado de Antonio Pinto, no carro de reportagens conhecido como "vermelhinho da Independente", o "Comando Geral do Carnaval 2006", que começou no tradicional Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da Princesa, presidido pela sua irmã Adalgisa, que nos recebeu muito bem.
Mais: a Rádio Independente cedeu o seu estúdio de gravação para os integrantes da escola de samba Acadêmicos do Pantanal. Sem nada cobrar, puderam gravar o samba enredo do carnaval 2006, que homenageou o político André Puccinelli.

A LIESA sempre irá primar pela ordem, respeito e valorização de seus filiados, não irá se desmoralizar e nem perder a conduta do trabalho sério e ordeiro, digno de nossa democracia, RESPEITANDO O PRÓXIMO, sem desmerece-lo e ofende-lo (sic), esse será o nosso lema, e quem tem que aparecer e brilhar na avenida serão sempre nossas filiadas, as ESCOLAS DE SAMBA e mais ninguém.

Comentário do blog: Depois de escrever várias ilações contra mim, o presidente calça "as sandálias da humildade", como um verdadeiro Nero - imperador que, depois de atear fogo em Roma, passou a tocar seu instrumentos de cordas, curtindo a tragédia - e, travestido de "respeitador do próximo", assina a nota.
Lamentável.
Este repórter, que tinha o caso do empurrão como encerrado, só escreve estas linhas em respeito aos ouvintes e leitores que acreditam no trabalho pautado na verdade, somente a verdade, nada mais do que a verdade.
Afinal, como sempre repito, lembrando a frase de um repórter que, por falar verdades e incomodar muitos poderosos do Distrito Federal, foi executado com tiros de escopeta: "O meu compromisso é com a notícia do tamanho da verdade, doa a quem doer."
Abraços respeitosos do Armando de Amorim Anache, um repórter.

P.S.: Estou pronto para debater todos os temas citados acima, no ar e ao vivo e com muita educação e tranqüilidade.
É só marcar a hora. Mas, por favor, vamos tratar dos FATOS. Tentar ofender este repórter não leva a lugar nenhum, ok?
Além do mais, o meu couro é bem grosso e resistente.

Aquidauana/MS, 03 de março de 2006.
FERNANDO DOS ANJOS
Presidente da LIESA

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home